Notícias

27/04/2022

Estudo faz um panorama ambiental, indígena e ribeirinho nas principais plataformas de redes sociais

Em parceria com Amoreira Comunicação, o relatório da FGV DAPP monitorou mais de 9 milhões de postagens do debate

A Diretoria de Análises de Políticas Públicas da Fundação Getulio Vargas (FGV DAPP) lançou um Relatório recente em que mapeou o debate nas redes sociais sobre pautas indígenas e relativas aos povos tradicionais mais amplamente, sob uma perspectiva multiplataforma. O Projeto Narrativas Ancestrais coletou mais de nove milhões de postagens do debate no Twitter, Instagram, Facebook e YouTube conjuntamente.

O documento apresenta, ainda, um estudo de caso sobre o inquérito aberto a pedido da Funai contra a ativista Sônia Guajajara. Essa análise teve o objetivo de montar um quadro mais amplo dos atores e das coalizões que se engajam e mobilizam o debate sobre indígenas na plataforma.

De acordo com o levantamento, o Facebook se destaca como a principal rede em que as organizações ambientais e indigenistas obtiveram a maior influência no debate, sobrepondo-se a perfis individuais de ativistas e até mesmo a figuras da política institucional. Já o Instagram foi a rede em que predominaram as publicações feitas por celebridades. De atuação menos constante no debate, elas são importantes para expandir o alcance de campanhas para públicos que não participaram tão ativamente das discussões. A questão indígena obteve especial atenção, principalmente em campanhas que se articularam em diálogo com a preservação ambiental.

O Twitter, também monitorado pelo Projeto Narrativas Ancestrais, é marcado pela presença de ativistas ambientais e indígenas. Nesta plataforma, se destaca a formação de um conjunto de lideranças, especialmente ligadas à causa indígena com a presença de jovens que se articulam em questões políticas, campanhas e, também, mobilizam temas ligados às culturas tradicionais.

O estudo foi realizado em parceria com a Amoreira Comunicação e pode ser acessado na íntegra no site.

As manifestações expressas por integrantes dos quadros da Fundação Getulio Vargas, nas quais constem a sua identificação como tais, em artigos e entrevistas publicados nos meios de comunicação em geral, representam exclusivamente as opiniões dos seus autores e não, necessariamente, a posição institucional da FGV. Portaria FGV Nº19/2018.

Esse site usa cookies

Nosso website coleta informações do seu dispositivo e da sua navegação e utiliza tecnologias como cookies para armazená-las e permitir funcionalidades como: melhorar o funcionamento técnico das páginas, mensurar a audiência do website e oferecer produtos e serviços relevantes por meio de anúncios personalizados. Para mais informações, acesse o nosso Aviso de Cookies e o nosso Aviso de Privacidade.