Notícias

12/04/2024

Direita mobiliza caso Elon Musk nas redes sociais para legitimar denúncias de “censura” e “ditadura” no Brasil, segundo estudo feito pela ECMI

A FGV Comunicação Rio realizou um estudo sobre a repercussão do caso que envolveu  ataques verbais e ameaças do empresário Elon Musk ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Morais, após o mesmo determinar o bloqueio de alguns perfis do X, o antigo Twitter.  Em resposta, Musk ameaçou tirar a rede social  do ar no Brasil. O  fato iniciou uma série de discussões no próprio X e em outras mídias como o Telegram, Facebook e Whatsapp, em torno de uma ideia de possível censura por parte do Judiciário. As análises são resultado de um estudo da Escola de Comunicação, Mídia e Informação da Fundação Getúlio Vargas (FGV ECMI) realizado entre os dias 6 de abril até a tarde do dia 9. 

Grupos de direita tiveram maior destaque no debate, contando, ao todo, com 63,5% das interações sobre o tema no X. O conteúdo, em geral, era de ataques a Moraes e elogios a Musk. Os grupos de direita foram divididos em três categorias: aqueles  associados ao ex-presidente Jair Bolsonaro, com maioria das interações e perfis: 41,1% e 51,8% respectivamente; aqueles classificados como de “direita liberal”, com 7,5% dos perfis e interações; e aqueles de influenciadores e veículos, que contavam com 4,4% de perfis e 4,2% das interações sobre Moraes e Musk. Os perfis de  Renata Barreto e Monark, e canais como da Jovem Pan News, são alguns dos exemplos, veículos como Jovem Pan News.

Os grupos de esquerda também participaram do debate, com 16,3% das interações, composta por influenciadores progressistas e atores políticos de esquerda, que defendem a regulação das plataformas digitais. Eles aprovaram a atitude de Moraes, com o argumento, em linha gerais,  de que a legislação brasileira não pode ser subjugada por nenhuma figura estrangeira  Ainda sim, diferente do caso da direita, a esquerda não possui nomes em destaque no debate.

Por fim, destaque para a discussão do assunto em aplicativos móveis, principalmente em grupos de direita, que, assim como no X, observou o movimento de Musk de forma favorável.

Acesse o estudo completo aqui. 

 

As manifestações expressas por integrantes dos quadros da Fundação Getulio Vargas, nas quais constem a sua identificação como tais, em artigos e entrevistas publicados nos meios de comunicação em geral, representam exclusivamente as opiniões dos seus autores e não, necessariamente, a posição institucional da FGV. Portaria FGV Nº19/2018.